logo-soccer.png

Rodízios de Futsal: Desenvolvendo Jogadores de Futebol

Marcelo Antonelli

Revisado por Vinícius Nagy Soares


Os jogadores de futebol devem aprender rodízios de futsal? Por quê?


Defendemos que sim, pois esse conteúdo torna os atletas ainda melhores, tanto na quadra quanto no campo de futebol. Neste artigo, explicaremos a importância de se usar rodízios de futsal no processo de formação, consistindo, portanto, em uma ótima ferramenta para o desenvolvimento de jogadores de futebol. Também abordaremos os desafios e limitações desse processo.


Introdução

Imagine que seu treinador deseja ensinar rodízios de futsal, mas você desconhece a importância desse conteúdo. Observando uma prática inicial, parece apenas uma sequência de passes com movimentos repetitivos, sem criatividade e distante da "realidade" de uma partida de futebol.


Concordamos que o início do processo não é vistoso, mas o desfecho levará a algo completamente diferente: um ambiente de treinamento rico, no qual o movimento dos jogadores é inteligente e eficaz, com leitura do posicionamento de cada atleta e decisões criativas a fim de desequilibrar a defesa adversária. Além disso, durante o processo de aprendizagem dos rodízios, os jogadores desenvolverão habilidades físicas, técnicas, táticas e psicológicas.


Abaixo uma lista contendo alguns conteúdos que os jogadores aperfeiçoarão durante o processo.


Hábitos comuns durante um rodízio de futsal:



· Passar a bola e mover-se: quase todos os rodízios exigirão que os jogadores passem e se movam, tentando desequilibrar o outro time.


· Mudança de direção durante as corridas: a quadra é pequena e as defesas de futsal são organizadas (se treinadas adequadamente). Isso estimula os jogadores a mudarem constantemente de direção durante as corridas a fim de criarem espaços para receber a bola.


· Reiniciar corridas: muitas vezes, mesmo que o jogador mude a direção da corrida, ainda assim não recebe a bola, pois a equipe adversária não permitiu um passe penetrante. Como cada equipe possui apenas 5 jogadores e, considerando a maneira como os rodízios funcionam, o jogador se acostumará a reciclar a corrida rapidamente, tornando-se constantemente uma opção de passe.


· Manter a bola sob pressão: devido ao baixo número de jogadores, os praticantes recebem a bola com bastante frequência. E, durante o rodízio, espera-se que o jogador mantenha a bola, mesmo sob pressão. Para isso, são estimuladas estratégias como girar para fora, driblar para um lado ou mudar a direção do drible, entre outras técnicas que serão dominadas durante esse processo.


· Seja bom no 1 x 1: cenários de 1 x 1 ocorrem de maneira constante e o jogador desenvolverá a capacidade de tornar-se proficiente em embates desse tipo.


· Combinações criativas: enquanto um jogador pode tentar encontrar soluções individuais, os rodízios fornecerão a oportunidade para uma infinidade de combinações nas quadras. Por causa da defesa rígida e organizada, o futsal desenvolve muitas combinações que, em geral, são mais sofisticadas do que as do futebol.


· Comunicação efetiva (falar, escutar e seguir orientações): o ambiente com espaço restrito e contra uma equipe organizada exige soluções individuais e/ou coletivas bem elaboradas. Apenas "lançar atrás da defesa", como frequentemente observamos no futebol de baixo nível, provavelmente não funcionará no futsal. Como consequência, os jogadores serão constantemente forçados a se comunicar (visual ou verbalmente) de maneira eficaz. Parte fundamental da comunicação consiste em saber ouvir e seguir orientações, capacidades estas que serão desenvolvidas durante o processo.


· Leitura de jogo: isso tem a ver com todos os itens listados acima. Durante um rodízio, se dois jogadores fizerem a mesma corrida, será fácil para o outro time pressionar e roubar a bola. Ou ainda, se um jogador não oferecer apoio de um lado, dificilmente haverá sucesso na jogada. Os rodízios exigem que os jogadores mantenham foco, leiam as posições de todos os companheiros de equipe e oponentes e sejam criativos de maneira eficiente.


· Tempo, ângulos e espaço: em qualquer combinação, incluindo as sobreposições que são frequentes na maioria dos rodízios, a leitura do tempo, ângulos e espaço é a chave para o sucesso do atleta. Por isso, habilidade técnica e inteligência tática são necessárias o tempo todo.


· Posição corporal e primeiro toque intencional: para ter sucesso em alguns dos itens acima, os jogadores devem mover-se antes de receber a bola (por exemplo, fazer “check-out” – dar o gato - para criar espaço).


Pontos importantes a considerar


1. Mais importante do que aprender um rodízio é necessário praticá-lo. Aprender rodízio do futsal proporcionará aos jogadores um conjunto de ideias e conceitos, mas é a prática que levará ao desenvolvimento. O ambiente de treino, enquanto o rodizio é praticado, exige dos jogadores uma série de capacidades técnicas, físicas e táticas. Portanto, praticando nesse ambiente, o jogador(a) se aperfeiçoará.


2. É mentalmente exigente. Se o objetivo de alguém é apenas jogar por diversão, sem alcançar um nível mais alto, as rotações tornam-se dispensáveis. Os treinadores podem até usar uma boa estratégia pedagógica para tornar os rodízios mais atraentes e divertidos, porém ainda assim haverá sobrecarga mental. Muitos jogadores estão acostumados a tomarem decisões de maneira autônoma. Os rodízios de futsal forçam os jogadores a olharem em volta, lerem as posições dos companheiros de equipe e adversários. Com isso, as ações tornam-se menos automáticas e ficam cada vez mais conscientes. Permite e aprimora a criatividade individual, mas mantendo a responsabilidade tática ao mesmo tempo.


3.